UOL Megastore

MegaBlog

25/06/2007

Dicas musicais Parabéns ao ministro Gil!

Nesta terça-feira (26) o Brasil celebra o aniversário de Gilberto Gil - não só é um dos maiores ícones internacionais da nossa música, mas também, figura de importância indiscutível na cena cultural do país. Nosso Ministro da Cultura desde 2002 até os dias de hoje, Gil tem dividido sabiamente suas atividades na capital federal com a carreira, mantendo-se relevante enquanto músico e atuante como político.

Comemorando a chegada da terceira idade, o ministro Gil comemora seus 65 anos em preparação para turnê na Europa, onde estreará nova canção, "Banda Larga Cordel". Banda Larga também é o nome da turnê, que vai passar por Portugal, Grécia, Espanha, Itália, França, Suíça, Finlândia e Marrocos, ocupando todo o mês de julho - seu período de férias do Ministério da Cultura

Composta recentemente, a música ainda não teve seu registro definitivo em álbum, mas pode ser conferida no vídeo abaixo - gravado na cozinha da casa do ministro! O tema não é novo: a WWW já havia sido visitada por Gil em letras do álbum Quanta, como "Pela Internet", enquanto a modernidade e tecnologia são presenças constantes na obra do autor - de "Cérebro Eletrônico" à Parabolicamará.

Aproveite e confira no UOL Megastore alguns clássicos da MPB que encontramos na discografia de Gilberto Gil, como o disco Refazenda (1975), a parceria com Jorge Ben Jor em Gil e Jorge, e a icônica participação no álbum-manifesto Tropicalia.

Escrito por UOL Megastore às 16:48

....Regras para comentáriosEnvie esta mensagem

18/06/2007

Dicas musicais Durval Ferreira

Foi enterrado hoje, no Rio de Janeiro, o compositor, arranjador e instrumentista Durval Ferreira, responsável por sucessos internacionais como "Estamos Aí" e "Batida Diferente".

O músico foi vitimado por um câncer, falecendo no domingo (17). Durval era parceiro freqüente de Pedro Camargo e Orlandivo, e também foi diretor artístico de diversas gravadoras - lançando cantores do naipe de Sandra de Sá e Emílio Santiago, entre outros.

Sua obra já foi revisitada por gente como Elis Regina, Stan Getz, Milton Banana, Sarah Vaughan e Herbie Mann.

Confira algumas das principais contribuições de Durval Ferreira à MPB aqui no UOL Megastore.


Escrito por UOL Megastore às 17:18

....Regras para comentáriosEnvie esta mensagem

Playlists Memory Almost Full

O novo disco do ex-Beatle Paul McCartney, Memory Almost Full, revisita sua história sob a ótica de um senhor de 65 anos - recém-completos - com senso de auto-crítica.

Entre letras que afirmam até mesmo não ter mais tempo para ser um amante dedicado, Macca explora todas as décadas da carreira, passando pelos Fab Four até chegar nos Wings.

Confira abaixo o faixa-à-faixa que preparamos:


Lado A

    1. Dance Tonight (2:52) De estrutura melódica parecida com "Here Today", um dos clássicos da carreira-solo de Paul (do álbum Tug of War), "Dance Tonight" se tornou o primeiro videoclipe de Memory Almost Full. A canção abre o disco com um leve acento country, trocando o arranjo de cordas por violões de aço dedilhados em base do início ao fim.

    2. Ever Present Past (2:54) Primeiro single, a canção faz referência direta ao tema do álbum: o tempo e a velhice. Começa moderna, lembrando os últimos discos de Macca: calcada em riffs de guitarra, e quebrando num refrão na linha do hit "Coming Up" (do disco McCartney II), de melodia alegre em contraponto ao saudosismo presente na letra.

    3. See Your Sunshine (3:17) Começa num coro de vozes femininas que remete à Wings fase anos 80, e o piano que conduz os movimentos da música corroboram para o clima. Em alguns momentos, lembra os trabalhos mais recentes de McCartney, como "Promise to You Girl" - do anterior Chaos and Creation in the Backyard.

    4. Only Mama Knows (4:17) Uma das faixas mais pesadas do disco, "Only Mama Knows" traz guitarras e vocal distorcidos, e um McCartney cantando como se ainda tivesse 20 e poucos anos e estivesse gravando um lado B para o single de "Helter Skelter".

    5. You Tell Me (3:15) Balada em falsete ao violão, praticamente um standard mccartniano. Equivale a "Jenny Wren", "The Lovely Linda", ou mesmo "Yesterday" - guardadas as proporções.

    6. Mister Bellamy (3:39) Enquanto Memory Almost Full traz uma opereta ao estilo Abbey Road no que seria seu "lado B" (caso ainda estivéssemos na era do vinil), começada em "Vintage Clothes" e indo até "End of the End", é "Mister Bellamy" que soa como uma peça de movimentos elaborados e arranjos detalhistas. Não há muita linearidade, reforçando o clima de experimentalismo erudito - influência do trabalho de McCartney com corais e orquestras em 2006, registrado em Ecce Cor Meum.

    7. Gratitude (3:17) Em seu elogio à falecida esposa Linda Louise Eastman McCartney, Paul combina a euforia gospel em vocais rascantes e piano quebrado em crescendos. Cordas e corais fazem o contraponto etéreo, quase numa oração cantada. A forte presença dos backing vocals e corais ao longo do disco e - principalmente - desta faixa é mais uma das fortes ligações de Memory Almost Full com Abbey Road. E "Gratitude" seria "Because".

Escrito por UOL Megastore às 13:36

....Regras para comentáriosEnvie esta mensagem

Playlists Memory Almost Full (continuação)

Lado B

    8. Vintage Clothes (2:22) Com um refrão repetitivo, Macca inaugura seu ciclo de canções insistindo na temática do tempo através da analogia com as roupas antigas do título. Como em boa parte do disco, a base é conduzida por um piano e bateria marcada, com guitarras fazendo as vezes de complementos harmônicos e barulhinhos eletrificados.

    9. That Was Me (2:38) A pegada de "That Was Me" remete imediatamente ao McCartney do primeiro disco-solo pós-Beatles: vigoroso, mas ainda melódico e com forte acento blueseiro. Camadas de violões se sobrepõem enquanto um rejuvenescido McCartney faz mea culpa de seus erros e acertos - mas sem a menor preocupação ou arrependimento.

    10. Feet in the Clouds (3:24) "Feet in the Clouds" talvez seja a música que mais se distancie do ciclo final de Memory Almost Full. Suas viradas de piano e mellotron combinadas com arranjos vocais à la Beach Boys aproximam a canção de obras mais experimentais, como Magical Mistery Tour. Tanto que, apesar da opereta final do disco conectar sutilmente suas partes, "Feet in the Clouds" parece acabar em si mesma.

    11. House of Wax (4:59) Praticamente recomeçando a opereta em seu movimento final, "House of Wax" investe em climas mais sombrios e na forte presença de guitarras e pratos explodindo ao pé do ouvido. Faixa mais longa do disco, tem espaço para diferentes solos, e faz a ponte para a conclusão do ciclo da memória de McCartney.

    12. End of the End (2:51) Encerrando a opereta de Memory Almost Full, "End of the End" é mais uma menção clara de Macca a seu passado. Assim como o Abbey Road acaba em "The End", com "Her Majesty" fazendo o papel de epílogo, "End of the End" celebra o fim da jornada anunciando que há um final ainda melhor por vir - um próximo disco, quem sabe? Com direito a solo de assovio, a canção é guiada pela voz de McCartney destacada em primeiro plano. Um piano e cordas ocupam os vazios da melodia com a sutileza de quem se despede com o olhar.

    13. Nod Your Head (1:55) Esse sim, o epílogo de Memory Almost Full: as guitarras mais altas, os vocais mais urgentes, e menos de dois minutos do McCartney mais rock dos últimos anos - implorando para chacoalharmos a cabeça! Como uma faixa de Driving Rain com caprichada produção indie, "Nod Your Head" prova que a parceria com Nigel Godrich (produtor do Radiohead) no disco anterior ajudou a modernizar a técnica de estúdio de McCartney, influenciando as melhores canções deste disco.

Escrito por UOL Megastore às 13:35

....Regras para comentáriosEnvie esta mensagem

04/06/2007

Dicas musicais De Mato Grosso para o Brasil

Com mais de 15 anos de carreira, a cantora Vanessa da Mata só foi estourar por todo o Brasil em 2006, quando "Ai, ai, ai..." se tornou a música nacional mais executada daquele ano nas FMs, segundo o ECAD. A mato-grossense de Alto Garças passou por bares de Uberlândia e São Paulo até sair em turnê como backing vocal da banda de reggae jamaicana Black Uhuru.

De volta ao Brasil, Vanessa compôs com Chico César e Ana Carolina, e foi gravada por Daniela Mercury e Maria Bethânia - um aquecimento para o sucesso por vir.

Essa Boneca Tem Manual, lançado em 2004, foi o ponto-de-virada na carreira de Vanessa - que, com música tema de novela, encontrou sua plataforma perfeita para o reconhecimento nacional. Agora, com Sim, Vanessa consolida uma bonita e jovem carreira com o selo de aprovação de mestres da música brasileira.

Entre os músicos de sua banda - no disco e em turnê - estão o pianista João Donato e o baterista Wilson das Neves. Catatau, do Cidadão Instigado, comanda as guitarras, fazendo a ponte entre as raízes e a nova vanguarda da MPB.

A produção de Sim ficou a cargo de Mario Caldato e Kassin, que também assina os dois últimos discos do Los Hermanos. Caldato costuma trabalhar com os Beastie Boys e Jack Johnson.

O álbum ainda conta com a participação de feras internacionais: Ben Harper divide os vocais no single "Boa Sorte / Good Luck", enquanto gênios jamaicanos do dub Sly & Robbie aparecem em cinco faixas.

Sim também estréia um novo formato que é aposta da Sony-BMG para 2007: o CD ZERO, uma espécie de versão EP do disco oficial, com cinco canções inéditas e um preço mais competitivo.

Comprando o CD ZERO, você pode completar seu álbum baixando as faixas restantes aqui mesmo no UOL Megastore! E depois de Vanessa da Mata, a primeira leva da coleção traz os novos de Capital Inicial e Lobão.

Escrito por UOL Megastore às 10:21

....Regras para comentáriosEnvie esta mensagem


Atenção! A senha do assinante UOL é secreta. Nenhum funcionário do UOL está autorizado a solicitá-la. Regras de uso